Você está em Artigos

Artes Integradas (página 2)


Segundo Weber (2015) a arte no espaço escolar é apenas um aglomerado de ações superficiais que caracterizam a Arte por atividades decorativas nas datas comemorativas. Isto pode ser observado através da observação dos professores, muitos deles sem formação adequada, compõem as atividades para os alunos através de experiências como alunos, isto cria um circulo vicioso que replica a cada ano as mesmas atividades. Alguns professores buscam na formação continuada a solução para estabelecer o repertório de atividades práticas, afinal, o histórico desta disciplina constitui-se de ações práticas, pouco reflexivas e o estudo de aspectos teóricos relativos à Arte.

As habilidades criativas adquirem relevância especial em idades precoces e especificamente no período de Educação Primária, pois é nesse momento que as mudanças evolutivas fundamentais ocorrem no nível cognitivo, social e afetivo. Portanto, o primeiro passo para incentivar a criatividade é avaliar o ambiente escolar, tarefa difícil devido à complexidade do processo. É importante o papel que a educação integrada das artes desenvolve dentro da esfera educacional e social, bem como as consequências da imagem gráfico-plástica e o processo de socialização na formação dos professores da Educação Infantil e Educação primária (DOMINGUEZ, 2016).

Para Anderson e Krauker (2017), O fundamento teórico e o raciocínio do uso de abordagens de artes dramáticas para o ensino de habilidades de alfabetização para estudantes com necessidades diversas são baseados em teorias de linguagem, cognição e desenvolvimento social/emocional. As teorias cognitivas e linguísticas do desenvolvimento estabelecem o significado da especificidade linguística e sua contribuição para o desenvolvimento das habilidades cognitivas e de comunicação social das crianças. Essas perspectivas incluem atividades de crianças em representação simbólica, assimilação e acomodação, formação de esquemas e participação social, que influenciam seu desenvolvimento de habilidades linguísticas, cognitivas e sociais e seu desenvolvimento de linguagem alfabetizada ou especificidade linguística.

Anderson e Krauker (2017) citam Eisner (2000), que sustenta que "os limites da linguagem não determinam os limites do nosso pensamento". Estudantes com diversas necessidades de aprendizagem merecem abordagens ilimitadas para facilitar a expressão de suas ideias. A mediação de linguagem alfabetizada específica através de formas representativas, como o drama, fornece acesso e a oportunidade para esses alunos participarem e progridem na aprendizagem de habilidades de alfabetização. Drama está bem posicionado para desempenhar um papel fundamental no ensino e na aprendizagem, já que os educadores têm como objetivo promover o processamento dos alunos do pensamento e do idioma de maneiras tão completas, complexas e sensíveis quanto possível, com o objetivo de transmitir informações através de palavras faladas e escritas (i.e., habilidades de alfabetização).

Conclusão

A partir da análise da revisão de literatura pode-se concluir sobre a grande importância da integração das artes, o que contribui para o desenvolvimento intelectual e autônomo dos indivíduos. Através da arte pode-se estimular diversos sentidos dos alunos, principalmente a criatividade que desenvolve o aperfeiçoamento e crescimento pessoal com eficácia.

Sugere-se também repensar a organização curricular fragmentada nas escolas, reavaliando as possibilidades de construção de um currículo que faça a interação entre as disciplinas, vistas a superação do conhecimento fracionado.
A criatividade estimulada por meio da arte-educação favorece esta interação disciplinar. Desta forma, estabelecem-se processos mais eficazes de construção do conhecimento, por considerar o aluno de uma forma integral, respeitando sua identidade, limitações e suas potencialidades.

O uso das artes em aprendizagem estabiliza as emoções humanas, controlando as conexões neurais, construindo significados através do conhecimento prévio.

Referências

AEPNF - Arts Education Partnership National Forum. Creating Quality Integrated and Interdisciplinary Arts Programs. 2002, Disponível em < http://www.aep-arts.org/wp-content/uploads/2012/08/Creating-Quality-Download.pdf>, acesso em 05.03.2018.
ALENCAR, E. S. de; FLEITH, D. de S. Criatividade: múltiplas perspectivas. 3. ed. revista e ampliada. Brasília: Editora Universidade de Brasília, 2003.
ANDERSON, A.; KRAKAUR, L. Integrated Arts Approaches in Education: Dramatic Arts as a Mediator for Literacy Learning. 2017. Disponível em < https://auislandora.wrlc.org/islandora/object/auislandora:31756>, Acesso em 08.03.2018.
BEINEKE,V.Aprendizagem criativa e educação musical: trajetórias de pesquisa e perspectivas educacionais.Educação, Santa Maria, v. 37, n. 1, p. 45-60, jan./abr. 2012.
CANTO, F.S.G.Y.; BRITO, M.C.P.; DIAS, C.L. A importância das linguagens artísticas no desenvolvimento infantil.  Colloquium Humanarum, v. 10, n. Especial, p. 705-711, Jul–Dez, 2013.
CORNETT, C. Creating meaning through literature and the arts. Saddle River, NJ: Pearson. 2007.
CRISTIANO, C.A. Ensino da arte e interdisciplinaridade: Olhares e reflexões a partir da narrativa de professores e alunos do ensino médio da E.E.B Professora Maria Garcia Pessi. [Monografia]. Universidade do Extremo Sul Catarinense – UNESC – Curso de Artes Visuais. Criciúma/SC, 2010.
DOMINGUEZ, S.C. La Educación inegrada de las artes. Un modelo de ensenanza – aprendizaje para la formación del profesorado de Educación Infantil e Educación Primária. OBSERVAR, v. 10, n. 1, p. 64-87, 2016.
EISNER, E. (2000). What can education learn from the arts about the practice of education? The Encyclopedia of Informal Education. Retrieved May 1, 2010. Disponível em: < www.infed.org/biblio/eisner_arts_and_the_practice_or_education.htm>. Acesso em 08.03.2018.
INOCIAN, R. Integrated Arts-based Teaching (IAT) Model for Brain-based Learning. Journal of Curriculum and Teaching, v. 4, n. 2, p. 130-143; 2015.
KUNZLER, N.A. Artes Integradas: circulação, vivência e criação em diferentes linguagens da Arte. [Monografia]. Ministério da Educação - Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal Farroupilha - Câmpus Jaguari – Santa Maria/SC, 2015.
MACIEL, N.D.G. A integração das artes na arquitetura moderna em Salvador e a construção de um discurso. In: Cultura Visual, n. 18, Salvador: EDUFBA, p. 73-84, dez./2012.
WEBER, D.J. Integração das linguagens artísticas: formação continuada de professores da Educação Básica.  REVISTA DE ESTUDIOS E INVESTIGACIÓN EN PSICOLOGÍA Y EDUCACIÓN, v. extra, n. 6, 2015.

Clique aqui para avaliar este artigo

Voltar para seção de artigos

Anterior  

Voltar para a primeira página deste artigo

Como referenciar: "Artes Integradas" em Só Pedagogia. Virtuous Tecnologia da Informação, 2008-2019. Consultado em 20/03/2019 às 00:16. Disponível na Internet em http://www.pedagogia.com.br/artigos/artesintegradas/?pagina=1