Você está em Artigos

A Infância e a Computação

Autor: Onildo Henrique B. Filho
Data: 15/04/2011

Na minha infância (no fim dos anos 80), o sonho de consumo das crianças era em sua maioria brinquedos, quem era da época (ou um pouco antes) deve se lembrar da infinidade de opções produzidas pela estrela e glasslite. Lá pelo final mesmo dos anos 80 (88 por ai), uma revolução se anunciava por aqui. O que nos Estados Unidos e Japão já era a segunda geração, por aqui a primeira geração despontava, brinquedos eletrônicos, mais precisamente computadores e videogames. Os mais abastados, poderiam presentear seus filhos com petardos de tecnologia como o Atari 2600 (sucesso absoluto), MSX (computador usado como vídeo game), TK-85 (outro computador usado para jogar). Só que nessa época o percentual de pessoas que possuíam um desses aparelhos era tão pequeno que ficava apenas restrito ao primo rico da maioria das crianças. Aqueles que possuíam os primeiros computadores pessoais que eu citei como o TK-85 e o MSX (o expert da gradiente era o mais famoso por aqui) e realmente o utilizavam como computador tiveram uma grande base sobre programação, pois nesses computadores era necessário se programar caso necessitasse fazer algo, a linguagem era o basic, muitos destes hoje são nossos chefes, pois com a base de lógica de programação que tiveram estavam muito a frente daqueles que ficavam somente utilizando os softwares prontos da era Windows logo a frente.

Com a popularização da informática durante os anos 90 e consequentemente dos computadores padrão IBM-PC os computadores "rústicos" foram abandonados e as máquinas com Windows tomaram a cena, muitas pessoas durante os anos 90 adquiriram computadores, a partir de 1995 a configuração mais comum eram os 486 DX-2 66Mhz 8 MB de RAM e Windows 95, a partir de 97 os Pentium tomaram a cena mas ainda com o Windows 95 ( notem que estou dizendo da popularidade deles nos lares e empresas que os possuíam não do ano de lançamento, lembrem-se o Brasil naquela época era mas mais lento em relação a tecnologia do que é hoje). Mas isso era ainda algo para a classe média, que na época não passava de 20 ou 25 por cento da população do país, e mesmo os que possuíam um PC nestas configurações que eu passei não estavam dispostos a deixar seus pequenos filhos a ficar se divertindo com o equipamento que em valores de hoje deveria custar algo em torno de R$ 3.500,00 para as configurações mais simples e a manutenção então, era cobrada a hora técnica (bons tempos) uma reinstalação de sistema não saia por menos de R$ 300,00, coisa para os pais mesmo.

  Próxima
Como referenciar: "A Infância e a Computação" em Só Pedagogia. Virtuous Tecnologia da Informação, 2008-2019. Consultado em 13/12/2019 às 00:51. Disponível na Internet em http://www.pedagogia.com.br/artigos/infanciacomputacao/