Você está em Material de apoio > Textos

Plante a Paz – Repudie o Bullying

Autor: Patrícia Dayanne Rufino Freire
Data: 12/05/2023

Apresentação

Sabemos que o bullying não é coisa da modernidade, ele sempre existiu, tanto nas escolas como fora dela. Porém, o assunto abordado nesse projeto é sobre o bullying no ambiente escolar. A escola é para ser uma instituição de ensino, aprendizado e de boa convivência. Um espaço onde deve predominar um bom acolhimento e uma boa interação. Infelizmente, a prática desse ato só prejudica a cada dia a relação dos estudantes.

Se antigamente o bullying já trazia advertência entre os alunos, hoje está pior, entram facas nas escolas, tiros, estimulando o conflito e a vingança por aqueles que sofrem com isso, chegando a acontecer óbitos. O assunto que trazemos traz propostas pedagógicas para trabalhar a prática da paz, estimulando o respeito e combatendo esse ato que, além de ofensivo, tem provocado discussões, conflitos, intrigas e tragédia.

Há relatos que, quem comete essa atitude também já sofre com isso. Geralmente, essa "brincadeira" é praticada por implicância, tendo deixado sequelas em quem a recebe, tanto de forma física como psicológica. Embora tudo na vida passe, quem é afetado por esse ato pode superar no decorrer dos anos, mas se lembrar de algum vestígio, um flash, enquanto outros passam por tratamento, terapia, chegando a tomar medicamentos por serem diagnosticados com depressão ou outro transtorno causado por ele.

As escolas estão implantando aquele dia "D" para promover a cultura de paz, é um momento que une educadores e alunos, todos vestidos de branco, fazendo um momento de oração, música que transmita a paz, atividades lúdicas, influenciando para trabalhar a interação pacífica no ambiente de ensino. O fato é que, para combater esse ato, é importante que a escola e as famílias se unam para trabalhar os filhos, tendo um diálogo para conscientizá-los de que o bullying não é uma brincadeira, e sim uma ofensa.

Assim como os pais querem que os filhos sejam respeitados, também devem incentivá-los para respeitar os colegas, os amigos, os professores e todas as pessoas que eles convivem e até mesmo aquelas que eles não conhecem. O respeito gera respeito, assim como gentileza gera gentileza.

Objetivos:

Geral:

•    Estimular a empatia e a paz entre os estudantes no ambiente escolar.

Específicos:

•    Incentivar o respeito com a forma física do corpo do(a);
•    Auxiliar o(a) colega que tiver dificuldade no aprendizado (deficiência intelectual);
•    Aceitar o(a) colega que tiver deficiência física;
•    Respeitar o(a) outro(a) no aspecto religioso, político ou social.


Justificativa

O presente projeto foi elaborado com a intenção de desenvolver ações que tragam um bom convívio entre os discentes e todo o corpo que forma a escola, incentivando o respeito, a empatia e a paz na instituição de ensino, amenizando os atos opressores praticados pelo bullying.

A escola é para ser uma entidade que transmita alegria, satisfação com a produção de conhecimento pelos estudantes e professores, dialogando para resolver o que for preciso, e felicidade para os familiares, para que consigam ter confiança em colocar os filhos no colégio, permanecendo bem no período que for necessário, e voltando para casa de forma tranquila.

O bullying já provoca muitos constrangimentos para todos que fazem parte do ambiente escolar, incluindo professores, alunos, pais e demais funcionários. Porém, o primeiro alvo a ser atingido por essa atitude até o momento presente tem sido os estudantes, depois vêm outros envolvidos.

Pelos anos que esses insultos atuam, já virou cultura. Este trabalho tem por finalidade treinar a clientela com os educadores, direção e família, criando um laço afetivo em prol de amenizar essa cultura, plantando a paz nas escolas, principalmente em salas de aula que, é onde mais predomina o convívio entre os discentes.

Este documento traz uma ideia de conscientização, para que os alunos absorvam que a adolescência é apenas uma fase e passa rápido. E, um detalhe, os docentes precisam infiltrar neles que não serão adolescentes para toda a vida. Um dia eles vão ficar adultos e podem ter filhos que, quando começarem a estudar e dizerem que estão sendo insultados na escola, vão sentir pelos filhos ou se lembrar do que fizeram no tempo que estavam na adolescência.

Metodologia

O projeto pode começar com um convite feito pela direção da escola, sendo impacto com uma reunião com os professores, apresentando as propostas que ele traz. Em seguida, fazer uma reunião com os pais, preparando as famílias para conversar com os filhos sobre a importância de respeitar os colegas, professores e os demais funcionários. A paz e a prevenção ao bullying começa pelo respeito.
 
Neste documento encontramos sugestões que abordam diálogos como: rodas de conversa. Textos; Dinâmicas; Confecção de cartazes, podendo ser contemplados palestras com: psicólogos; assistente social; secretário(a) de educação, entre outros. Este trabalho é para contemplar uma vez por mês, explorando as estratégias para reforçar os laços afetivos entre os estudantes. Segue abaixo as sugestões das propostas:

•    Dinâmicas: brincadeiras que envolvam o abraço, apresentação do nome (pode ser no primeiro dia de aula) que, influa na construção da amizade.

•    Roda de conversa: os professores podem iniciar fazendo um círculo de conversa com os alunos, abordando algum assunto, um desentendimento que ocorreu, um conflito, ou até mesmo, conversar sobre a importância de uma boa interação. Logo no início do ano letivo, trabalhar os alunos para se referir mutuamente pelo nome de registro, aceitação do outro, abordando assuntos sobre a empatia, se colocando no lugar do outro.

•    Regras de Convivência:
- Ao iniciar a aula desligue o celular ou deixe no silencioso;
- Ao chegar na sala cumprimente os colegas e o(a) professor(a) saudando pelo nome;
- Cada um na sua cadeira e não se levante para ir à cadeira do colega, exceto caso seja necessário ou determinado pelo(a) professor(a) quando for formar grupos ou duplas;
- Fale com o(a) colega pelo nome dele;
- Na hora da aula fique atento ao professor(a);
- Quando quiser falar, levante a mão;
-Na hora dos exercícios, auxilie o(a) colega que estiver com dificuldade sem dá a resposta;
- Ajude o(a) colega com deficiência física a se locomover;

- Obs.: destaque essa frase no cartaz: Vamos obedecer às regras da sala para termos paz no nosso ambiente. Gratidão!

• Contações: Explorar contos em forma de: cartaz, livros de literatura infantil, contos com teatros confeccionado, o(a) professor(a) pode estar fantasiado de algum personagem ou usando um avental, tapete literário com os personagens do conto e ilustrando o título do projeto, palitoches, fantoches, dedoches, ou outros acessórios que preferir, incentivando o plantio da paz, da convivência saudável.

• Rotina: Atividades desenvolvidas pelos professores e alunos, a partir da história contada como: confecção de cartaz com frases que influenciem o respeito ou excluindo o bullying, incluindo imagens para estimular, podendo incluir pinturas com tintas, e outros materiais que preferir, tudo de uma forma lúdica.

• Culminância: Evento promovido pela escola e os professores com a participação da família como: palestra; apresentação de trabalhos confeccionados pelos alunos e os professores; dramatização de alguma história, um fato que, possa transmitir a paz e repudiar o bullying.

• Textos: Poesias, poemas, fatos ocorridos pelo bullying, entre outros. Proponha que os alunos leiam de forma individual para terem uma compreensão melhor. Em seguida, socialize com o grupo. Entregue um pequeno questionário para resolverem ou fazer uma produção textual sobre o assunto estudado, é uma maneira de fazê-los refletir.

• Filmes, vídeos ou músicas: podem ser assistidos e socializados em seguida, contemplando com a turma uma interpretação textual, ou criando com eles uma dramatização para ser apresentada em algum evento da escola.

Considerações finais

Podemos considerar que o projeto que nos referimos pode ser aplicado para todas as categorias de ensino. Na educação infantil, não tem muita predominância do bullying, mas ocorre algo comum que, é o que mais chateia as famílias, são as mordidas, com outras arengas como: empurrões, beliscões, brigas por algum brinquedo, mas esta é a pior, fazendo com que os pais não levem mais as crianças para a escola ou removam elas para outra sala.

Para reduzir este ato ou prevenir, os docentes fazem combinados com imagens e exploram isso com as crianças nas rodas de conversa ou colando cartazes na parede, no cantinho da leitura ou criando o canto das regrinhas. Tem os contos infantis que podemos abordar nas contações de história, relacionados a paz, a amizade, ao bom convívio. Há casos em que, o(a) professor(a) se reservam com a criança para conversar sobre algo que ela fez, esses diálogos ajudam na disciplina.

Com as crianças maiores ou adolescentes, como muitos sabem ler, é possível contemplar o projeto de uma forma mais ampla com as sugestões propostas. Como o bullying é um ato que sempre persistiu, este trabalho não vai acabar com ele. Lamentavelmente, ele é comum nas escolas, mas com a parceria da família e docentes é possível que consigam repudiá-lo parcialmente entre os discentes.

A escola não é para ser um lugar onde predominam desafetos e delinquência, mas um lugar de construção de conhecimento, desenvoltura de habilidades, prática de esportes, trabalhos artísticos, laços de afetividade, formando os jovens para terem uma boa cidadania.

Voltar para seção de textos

Como referenciar: "Plante a Paz – Repudie o Bullying" em Só Pedagogia. Virtuous Tecnologia da Informação, 2008-2024. Consultado em 04/03/2024 às 00:53. Disponível na Internet em http://www.pedagogia.com.br/textos/index.php?id=89