Você está em Artigos

Reflexão Sobre as Competências e Habilidades que Surgem no Contexto Educacional na Perspectiva do Ensino de Matemática

Autor: Carla Raquel Scarton
Data: 28/03/2012

INTRODUÇÃO

A atual sociedade possui uma postura que está acompanhada do processo de globalização que mantêm relação com a aceleração do tempo, pois, atualmente tudo está em plena e rápida mudança. A idéia de mercado globalizado deixa bem claro que o profissional do presente é cidadão. Para que o ser humano seja cidadão é necessário saber que este não é um ser humano alienado, e que para não ser alienado é necessário se preocupar com a educação no Brasil, com as metodologias de ensino, com a formação dos profissionais na área de matemática.

Não vão ser as metodologias de ensino a preparação do profissional de ensino superior que vão qualificar de forma integral o futuro profissional de matemática, este deve ter incentivo, direito a uma educação de qualidade desde os primeiros contatos com sua escola.

Recentemente os professores de matemática começaram a se conscientizar de que seu papel de docente exige capacitação própria e especifica que não se restringe a ter um diploma de licenciatura ou mesmo doutor, ou apenas o exercício de uma profissão, (CORREA, 2001). Exige isso tudo e competência pedagógica, pois ele é um educador.


PRÁTCA DOCENTE DO PROFESSOR DE MATEMÁTICA

Cada professor possui um estilo, que sempre será distinto. Não existem receitas prontas nem soluções específicas, porque ser professor de matemática envolve conflitos de valores, é um processo que se desenvolve ao longo de sua prática laboral.

Ao iniciar a prática profissional é que se verificam dificuldades, tais como: atrair o interesse dos alunos pelas aulas de matemática.

O professor deve de fato saber ensinar e usar estratégias de ensino na matemática: "(...) modos de apresentar e de abordar a matéria que sejam compreensíveis para o outro (...)" (MERCEDES, 2003, p. 55).

Para que o conteúdo seja compreensível, a teoria e a prática devem andar juntas, fazendo-se necessário a reflexão e a investigação sobre a própria prática docente, ou seja, é necessária uma constante análise de sua práxis.

É também necessário buscar o aperfeiçoamento constante, enquanto se desenvolvem atividades em sala de aula. O professor de matemática deve perceber seu estado de "inacabado" ( FREIRRE, 1996 ), ou seja , que deve reconhecer a necessidade de estar sempre em busca de novos saberes.

O verdadeiro professor de matemática é aquele que além de saber muito o conteúdo, ele deve conter na sua essência a capacidade de saber ensinar matemática, de saber trabalhar em grupo, de ser criativo, e jamais ser egoísta. Tem que assumir o seu papel profissional não negligenciando sua atividade. O professor de matemática do presente deve transmitir informações, instruir, mediar, ensinar, aprender, avaliar, educar e educar pela pesquisa. Educar pela pesquisa  é fazer com que o aluno  aprenda a trabalhar pelo método de pesquisa com a finalidade de exercitar, de construir sempre melhorias e sempre superar barreiras e dificuldades.

As carreiras profissionais estão se revisando com base nas novas exigências que lhe são feitas, em razão de toda essa mudança que vivemos atualmente: formação continuada dos profissionais, bem como novas capacitações, por exemplo, adaptabilidade ao novo, criatividade, autonomia, comunicação, iniciativa, cooperação. (MASETTO, 2003, p. 14).

Existem formas de conhecimentos, que são necessárias à formação do professor de matemática: conteúdo pedagógico e curricular.

O conhecimento do conteúdo específico é próprio da área do conhecimento do professor de matemática.

O professor deve buscar meios de "transformar" o conteúdo matemático através de formas metodológicas que são pedagogicamente eficientes e adaptáveis à realidade dos alunos, isto é, o conhecimento pedagógico do conteúdo, deve fazer sentido para o professor que ensina, proporcionando assim sentido para o aluno que aprende (DEMO,2004). Na verdade não é adquirida somente com observações, e sim, através de uma busca constante de recursos e ações que possibilitem essa prática. Aqui o professor de matemática não pode deixar de usar analogias, demonstrações, experimentações, exemplos, contra-exemplos, representações, inclusive a seqüência que dá aos conteúdos e a ordenação de um assunto em diferentes tópicos, como ferramentas pedagógicas. O conhecimento curricular nos diz que a profundidade e a linguagem empregada para diferentes turmas, sendo um mesmo conteúdo, é diferente, ou seja, deve ser diferente: Pois deve preocupar- se com a compreensão do que é ensinado, através de reflexões sobre práticas usadas.

Cada planejamento matemático que se faz, também tem objetivos educacionais e contextos de ensino. O planejamento das aulas é uma busca de recursos, visando melhorar essas e cumprir com os objetivos idealizados. O mesmo acontece a cada dia, é um momento de reflexão, de análise e crítica do que o próprio educador, fez, está fazendo e vai fazer, referente ao específico da sala de aula, temas, conteúdos, metodologias, recursos didáticos e avaliações.

  Próxima
Como referenciar: "Reflexão Sobre as Competências e Habilidades que Surgem no Contexto Educacional na Perspectiva do Ensino de Matemática" em Só Pedagogia. Virtuous Tecnologia da Informação, 2008-2019. Consultado em 11/12/2019 às 15:01. Disponível na Internet em http://www.pedagogia.com.br/artigos/contextoeducacionaldematematica/